QUAIS SÃO OS TIPOS DE SISTEMAS DE DIREÇÃO?

    21/05/2017

    QUAIS SÃO OS TIPOS DE SISTEMAS DE DIREÇÃO?

    Quais são os tipos de Sistemas de Direção?

    Você sabe quais são os tipos de Sistemas de Direção? O sistema de direção possui diversos tipos de funcionamento, com e sem auxílio. E, por meio de um conjunto de componentes, permite os movimentos das rodas dianteiras do veículo.

    O sistema de direção veio se desenvolvendo ao longo do tempo e hoje contamos com direções mais leves onde o condutor pode manobrar o carro sem muito esforço.

    Aqui no blog vamos falar um pouco sobre os diversos tipos de direção, das mais antigas que ainda são usadas, até o sistema mais atual.

    Direção Mecânica

    O Sistema de Direção Mecânica é composto pela direção mecânica, que também chamamos de direção manual, é o sistema mais antigo, e não tem auxílio nenhum em seu funcionamento, ou seja, o condutor fica com todo o trabalho de girar o volante.

    Esse sistema é basicamente constituído pela coluna de direção, árvore de direção, caixa de direção, barras da direção e braços de direção.

    Você pode estar se perguntando “Como esses elementos funcionam?” – vamos explicá-los abaixo.

    A coluna de direção é a peça responsável por levar o movimento do volante até a caixa de direção. Atualmente, é usado o modelo retrátil, que parece mais com uma antena de rádio que, em casos de impacto frontal, se deforma e impede que o motorista seja atingido pelo volante.

    A parte superior da coluna é ligada ao volante e a parte inferior é ligado na caixa de direção.

    Além da caixa de direção, temos as barras de direção que saem da caixa de direção para as rodas do veículo, essas barras são articuláveis e são protegidas por uma coifa para evitar que entre sujeira na caixa. Elas transferem os movimentos da direção às rodas dianteiras e são usadas para ajustar o alinhamento ideal.

    No fim da barra temos os terminais de direção que são parecidos com o pivô da suspensão, são aplicados nas barras de ligação e de direção e são responsáveis por interligar o mecanismo de direção nas rodas, permitindo seus movimentos e os da suspensão.

    Na extremidade da caixa de direção temos a bucha, por onde corre a cremalheira. Quando se desloca, essa bucha facilita o movimento da cremalheira e reduz o atrito entre elas.

    Temos também o rolamento do pinhão que permite que o pinhão gire com o mínimo de atrito, se encaixando em um alojamento na caixa de direção.

    Direção hidráulica

    Aqui, ao contrário do sistema mecânico, temos um pouco mais de componentes que trabalham para que a direção fique mais leve, diminuindo consideravelmente o esforço do condutor, proporcionando mais conforto ao dirigir.

    Na direção hidráulica existe o auxílio de uma bomba hidráulica, que age em conjunto com óleo e, no reservatório onde fica esse óleo, temos a caixa de direção, a válvula de controle de rotação, a cremalheira, o pinhão, o braço de direção, o pistão hidráulico e as mangueiras de baixa e de alta pressão.

    O funcionamento desse sistema não é nada complicado: a bomba hidráulica (que fica parafusada no bloco do motor) é acionada quando o carro é ligado, através da correia e da polia. Essa bomba pressuriza o óleo com quantidade e força suficiente para que o sistema funcione.

    O óleo vai para a caixa de direção através das mangueiras e é enviado pela válvula de controle de rotação, que libera esse óleo sob alta pressão para um cilindro na cremalheira, que empurra o pistão enviando o óleo para um dos lados que o volante é girado.

    Se não houver o movimento do volante, o óleo retorna pela mangueira ao reservatório para evitar perda de energia e o aquecimento do sistema.

    É essa pressão exercida pelo óleo que ajuda o condutor no movimento do volante.

    Como vimos, esse sistema depende do acionamento do motor para funcionar, portanto, o veículo perde potência ao fazer manobras e pode ter um pequeno aumento no consumo de combustível.

    Direção elétrica e eletro-hidráulica

    Na direção elétrica existem menos componentes que a direção hidráulica, por isso, esse sistema se torna muito mais econômico e é ecologicamente correto, pois não precisa de óleo, além de dispensar também as mangueiras e a bomba hidráulica, dessa forma não necessita das correias também.

    Por não precisar da força do motor, temos uma redução do consumo de combustível e o motor não perde potência. Além disso, a partida e dirigibilidade ganham em desempenho com esse sistema, pois, quando o veículo está rodando em baixa velocidade a direção se torna ainda mais leve e quando está em alta velocidade a direção fica mais pesada garantido a máxima segurança de quem está dirigindo.

    O sistema de direção elétrica trabalha com o auxílio de um motor elétrico. Entre os componentes desse mecanismo estão a caixa de direção, os sensores e os braços da direção.

    O motor elétrico é acionado pela corrente contínua da bateria e não mais pelo motor. Assim que os sensores captam o movimento do volante, a central eletrônica é informada e aplica a rotação necessária, ligando o motor elétrico que trabalha auxiliando os braços da direção, fazendo com que eles fiquem mais leves.

    Cuidados

    O sistema elétrico pode apresentar folga e barulhos na direção, geralmente quando o volante é girado com o veículo em baixa velocidade. Esses barulhos podem ser das buchas desgastadas, que ficam no interior do motor elétrico e devem ser substituídas antes que danifiquem todo o motor.

    Além disso, em muitos casos também há pane no sistema elétrico e, quando isso ocorre, a direção contínua funcionando, só que mais pesada.

    Direção eletro-hidráulica

    Por último, temos a direção eletro-hidráulica, que se destaca por ter maior precisão nas manobras pois é tão leve quanto a elétrica, além do baixo consumo do combustível.

    Esse sistema é parecido com o da direção hidráulica, a diferença está no acionamento da bomba, que desse vez é acionada pelo motor elétrico e não pelo motor do veículo. O Motor elétrico é controlado pela central eletrônica.

    O sistema eletro-hidráulico é muito parecido com o hidráulico e possui basicamente os mesmos componentes e é exigida a mesma manutenção que o sistema hidráulico.

    Além desses itens temos também a barra de reação que é mais usada na linha pesada. Clique AQUI e saiba mais sobre a barra de reação.